Dicas de Português Para Concursos Públicos
RECEBA MATERIAIS - CLIQUE AQUI
GRAMÁTICA LIVROS CURSO VIP CURSOS DICAS BLOG PALESTRA ACESSAR

3 Dicas Infalíveis de Acentuação Gráfica

 

Dica 1:

Letras iguais não levam mais acento conforme a nova regra ortográfica, portanto agora a grafia correta é:

Voo
Enjoo
Leem
Veem
Deem

Dica 2

Lembre-se também de que vogais idênticas formam hiato e devem se separar:

Voo = vo-o
Enjoo = en-jo-o
Leem = le-em
Veem = ve-em
Deem = de-em

Dica 3

Monossílabos apresentam 1 sílaba e só serão acentuados os terminados em "a, e, o" seguidos ou não de "s". 

a, e, o = acento têm
resto = acento não tem

Dica mnemônica: CÁ-FÉ-PÓ

Cá - má - lá
Fé - dê - ré
Pó - Jó - vô

Agora ficará bem mais fácil acentuar as palavras com essas dicas de acentuação gráfica. Basta colocar em prática para que você não erre mais. 

Quero aprender mais...

Questão de Português Comentada - Tipos de Sujeito

Para encontrar o sujeito nas frases, basta achar o verbo e questioná-lo: Quem + verbo? Essa pergunta só não serve para o sujeito inexistente (oração sem sujeito).

O sujeito foi classificado corretamente em:

a) Eles falaram tudo para mim.

Quem falou? Resposta (eles).
Note que o sujeito apareceu na frase, nesse caso não poderá ser indeterminado, dado que esse tipo de sujeito não pode aparecer na frase. 

Ocorre o sujeito simples, sendo indicado pelo pronome reto "eles". Para que ocorra o sujeito indeterminado, o verbo deve estar no plural, e o pronome reto "eles" deve se esconder no verbo. 

b) Alguém falou dele ontem.

Quem falou? Resposta (alguém)

Ocorre o sujeito simples, sendo indicado por apenas um núcleo (alguém). O sujeito indeterminado ocorrerá em dois casos:

Eles = escondido no verbo
Se = quando for índice de indeterminação

c) Havia sempre entendido tudo.

Quem...

Quero aprender mais...

Conjunção Integrante e Pronome Relativo

 

As duas funções mais cobradas do QUE nas provas de concursos públicos são conjunção integrante e pronome relativo; veremos como diferenciar essas duas classificações.

Característica comum:

Só acontece em período composto (duas orações). Portanto, se houver apenas um verbo no período, já saberemos que não se tratará de conjunção integrante e nem pronome relativo.

Quando Será Conjunção integrante?

Liga duas orações: uma principal à outra subordinada.
É possível trocar pelo pronome ISSO.

Sei que ele sabe de tudo de português.
Sei ISSO.

Preciso de que ele estude gramática.
Preciso dISSO.

Meu sonho é que ele seja aprovado no concurso.
Meu sonho é ISSO.

Note que fica bem mais fácil quando aplicamos essa dica e macetes. Basta retirar tudo após o "que"  e trocar...

Quero aprender mais...

Derivação Prefixal e Sufixal e Derivação Parassintética

 

A formação de palavras é uma matéria bem cobrada nas provas de concursos públicos, por isso falarei sobre a diferença entre a derivação prefixal e sufixal e derivação parassintética.

O que é derivação?

A derivação ocorre sempre quando uma palavra derivada vem de apenas um radical (palavra primitiva), já a composição é quando a palavra derivada vem de dois radicais. Para saber se uma palavra derivada é uma derivação ou composição, é necessário reduzi-la.

livrinho = livro
alegremente = alegre
entardecer = tarde

Nesses casos, note que as palavras derivadas vieram de um substantivo (um radical); a isso damos o nome de derivação que pode apresentar prefixo ou sufixo.

gasômetro = gás + metro
passatempo = passa + tempo

É possível notar a presença de dois...

Quero aprender mais...

Regência dos Verbos Esquecer e Lembrar de Forma Objetiva

 

A regência verbal é um dos assuntos mais cobrados nas provas de concursos públicos e uma das matérias com mais regras gramaticais, dado que cada verbo tem sua regência particular.

Hoje falarei sobre dois verbos muito exigidos nas provas: esquecer e lembrar. Prepare-se para aprender a regência desses dois verbos.

Esquecer e lembrar = algo (objeto direto)

Nesse caso, o complemento verbal é objeto direto (termo que completa o verbo sem o auxílio de preposição). A mesma regência de um verbo é a do outro, com isso fica mais fácil entender.

Ele esqueceu o livro na sala.
Ele lembrou o nome antes de ir.
A garota esqueceu a matéria da prova.

Esquecer e lembrar = de algo/ de alguém (objeto indireto)

Nesse caso, os verbos serão pronominais, isto é: serão acompanhados de pronomes oblíquos (se, me, nos). Havendo tais pronomes, você deverá empregar a...

Quero aprender mais...

Quando Empregar Mim ou Eu de Forma Certa?

Nesta questão de concurso, falarei sobre o emprego dos pronomes "eu"  e "mim", os quais são muito cobrados nas provas. Aprenda algumas dicas que farão a diferença em seus estudos.

A frase em que se deveria usar a forma EU em lugar de MIM é:

a) Quando houver um adjetivo antes da preposição "para", deve-se empregar o pronome "mim". Nesse caso, a frase está invertida, basta apenas colocá-la na ordem direta.

Estudar ficou muito complicado para mim.

Nem sempre entre preposição e verbo no infinitivo se emprega o pronome reto "eu", tenha muito cuidado com isso.

Outra dica é isolar o termo "para mim"; caso a frase fique correta, o emprego do pronome "mim" estará certo:

Ficou muito complicado estudar.

b) Após a preposição "entre" não se emprega o pronome reto "eu", pois nesse caso o termo não exerce a função de sujeito. Poderia empregar o pronome...

Quero aprender mais...

Análise Sintática Comentada - Questões Comentadas

Questão comentada de sintaxe, uma das matérias mais cobradas nas provas de concursos públicos. Aprenda alguns termos e maldades com os comentários do Professor Leo.

O termo destacado foi classificado corretamente em:

a) À onça matou o homem. (sujeito)

O termo "à onça" não pode ser sujeito, uma vez que está com acento grave; o sujeito não vem preposicionado. Note que o sujeito é o termo "o homem", basta colocar a frase na ordem: 

O homem matou à onça.

Empregou-se o acento grave para tirar a ambiguidade, pois não se saberia quem matou quem: se o homem matou a onça ou se a onça matou o homem. Portanto, o termo "à onça" exerce a função de objeto direto preposicionado.

b) Tinha necessidade de ajuda. (objeto indireto)

O termo "de ajuda" não completa verbo, mas o substantivo "necessidade", diante disso, não pode ser objeto...

Quero aprender mais...

Adjunto Adnominal e Complemento Nominal - Como Diferenciá-los?

 

O adjunto adnominal e complemento nominal são temas bem recorrentes nas provas de concursos públicos, por isso passarei mais uma superdica de gramática para ajudar você em seus estudos.

A confusão ocorre quando o termo preposicionado (ligado por preposição) está ligado ao substantivo abstrato; lembre-se de que se o termo preposicionado estiver ligado a substantivo concreto, tal termo desempenhará a função de adjunto adnominal.

Para facilitar, a confusão ocorre, em regra, com as  preposições (de - do - da). Com isso ficará mais fácil para fazer a diferença entre o adjunto adnominal e complemento nominal.

Vamos lá!

Adjunto adnominal terá sentido ATIVO, isto é: o termo fará a ação. Para isso, basta perguntar quem faz a ação.

A leitura do aluno foi boa.

Quem leu?
O aluno = ativo (AA)

A descoberta do...

Quero aprender mais...

Concordância Nominal O mais POSSÍVEL

 

A expressão "o...possível" é empregada como uma locução para indicar o grau superlativo, em regra, fica invariável; ela também pode ser acompanhada do artigo feminino "a...possível". O termo "possível" não deve concordar com o substantivo, mas com o artigo que vem antes:

Vimos mulheres as mais bonitas possíveis.
Vimos mulheres a mais bonitas possível.

Note que o segredo está no "artigo", a concordância deve ser feita sempre com ele. Nos concursos públicos, a segunda frase aparece mais, pois muitos estudantes acham que a frase está erradíssima.

Pedimos pães o mais gostosos possível.
Pedimos pães os mais gostosos possíveis.

É possível também que essa expressão venha invertida na frase; mesmo assim "o...possível" fica invariável:

Quero dois pães o mais possível claros.
As aulas...

Quero aprender mais...

Concordância Verbal com Porcentagem

 

Em regra, a concordância verbal com porcentagem se faz com o primeiro número, isto é, se o número for até "1", o verbo ficará no singular; caso o número seja a partir de "2" , o verbo ficará no plural.

0,8% estudou português para concursos.
1% sabe que gramática é muito importante.
1,9% estuda português, pois é essencial.

Note que o verbo ficou no singular, uma vez que a porcentagem não passou de "2%"; sempre concorde com o primeiro número, ou seja, a parte inteira. 

2% sabem que a língua portuguesa é essencial para as provas.
30% dos alunos não dominam as regras gramaticais.

Quando a porcentagem vier seguida das preposições "do, da", o verbo poderá assumir duas formas: ou concordará com o número ou concordará com o substantivo após a preposição.

1% dos alunos estuda gramática para...

Quero aprender mais...
Close

50% Complete

Ebook 50 questões de CRASE

Baixe agora o Ebook com Dicas e Macetes do Prof. Leo